Servidoras do Judiciário maranhense ocupam 61,82% dos cargos de chefia no órgão

COMPARTILHE

O Poder Judiciário possui, atualmente, 550 cargos, distribuídos entre homens e mulheres.

Trezentos e quarenta (340) servidoras do Poder Judiciário maranhense ocupam, atualmente, cargos de chefia, o que representa o percentual de 61,82%, no universo de 550 cargos existentes no órgão. A meta é ter no mínimo 49,50%. Os homens ocupam 38,18% desse total.

Para a diretora de Recursos Humanos, Diana Bastos, o expressivo aumento da presença feminina em cargos de chefia no Judiciário maranhense reflete um compromisso genuíno com a promoção da igualdade de gênero e o reconhecimento do valor das mulheres no ambiente institucional.

“Esta tendência não apenas demonstra a capacidade e competência das servidoras, mas também ressalta a importância de diversidade de perspectivas e experiências na tomada de decisões. Além disso, a elevada ocupação feminina em cargos de liderança inspira outras mulheres a buscarem posições similares, fortalecendo a representatividade de gênero no Judiciário e incentivando a construção de uma sociedade mais igualitária”, disse.

A imagem mostra um cenário de escritório com uma pessoa sentada em uma mesa. O rosto da pessoa está obscurecido por questões de privacidade. Na frente do indivíduo, há dois monitores de computador; um deles exibe o que parece ser uma lista ou planilha, e o outro está inclinado, tornando seu conteúdo indiscernível. Sobre a mesa, há vários itens, incluindo papéis, um teclado, um mouse e alguns lembretes adesivos. A pessoa, servidora Diana Bastos, diretora de RH do TJMA, está gesticulando com a mão esquerda, como se estivesse explicando algo ou em uma conversa.

Diana Bastos acrescentou: “Ao promover um ambiente de trabalho inclusivo e equitativo, o Tribunal não apenas empodera suas servidoras, mas também contribui para o avanço da cidadania plena, em que todos e todas, independentemente do gênero, têm a oportunidade de contribuir e prosperar”, enfatizou.

Diana Bastos ingressou no Poder Judiciário como técnica judiciária em 2006. Já assumiu os cargos de secretária da Coordenadora de Acompanhamento na Carreira e, no mesmo ano, foi nomeada para o cargo em comissão de assessora técnica na Diretoria de Recursos Humanos. Em 2013, retornou ao 1º Grau como secretária Judicial na 14ª Vara Cível de São Luís. Em 2022, foi nomeada para o cargo de assessora Jurídica, lotada na Diretoria-Geral do TJMA.

Uma das ocupantes de cargos de chefia no Poder Judiciário é a servidora Célia Regina, analista judiciária – contadora e atual diretora do Fundo Especial de Modernização e Reaparelhamento do Judiciário (FERJ). Célia Regina ingressou no Poder Judiciário em janeiro de 2006. Possui 18 anos como servidora efetiva da Justiça. No decorrer desse período, desde o ano de 2007, alternadamente, já ocupou cargos de assessora de Contabilidade, coordenadora de Finanças, coordenadora de Contabilidade e diretora Financeira.

A imagem mostra uma pessoa, servidora Célia Regina, diretora do FERJ, sentada em uma mesa, usando um computador com um monitor que exibe um documento com texto. Há vários objetos na mesa, incluindo o que parece ser um frasco de álcool em gel e um telefone. A pessoa está vestindo uma blusa rosa vibrante e tem cabelos pretos. O cenário sugere um ambiente de escritório, o que pode ser relevante para discussões sobre configurações de trabalho ou equipamentos de escritório.

Para a diretora do FERJ, Célia Regina, ocupar um cargo de confiança na Justiça maranhense representa o reconhecimento e a valorização do trabalho técnico desenvolvido. “Como mulher tem toda uma representatividade esse reconhecimento, por prestigiar a força feminina à frente dos cargos, ao mesmo tempo que incentiva outras mulheres a seguirem a mesma trajetória”, pontuou.

A servidora Aureana Martins, chefa da Divisão de Expedição de Atos e Registros da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ/MA) desde o ano de 2014, começou suas atividades como técnica judiciária, no Poder Judiciário do Maranhão em 2009. Antes, foi supervisora da mesma Divisão de 2011 a 2014.

A imagem mostra uma pessoa sentada em uma mesa, servidora Aureana Martins, chefa da Divisão de Expedição de Atos e Registros da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ/MA), de frente para um monitor de computador. Vários itens estão sobre a mesa, como canetas em um suporte, blocos de notas adesivas e objetos pessoais, como um copo de água e o que parece ser álcool em gel. O rosto da pessoa está oculto por um retângulo marrom, provavelmente para preservar a privacidade. A tela do computador exibe texto e gráficos, mas não é possível ver claramente o conteúdo.

Segundo a servidora, é uma importante conquista exercer esses cargos há tanto tempo no Poder Judiciário. “Fico feliz por poder representar as mulheres e servidoras, mostrar nossa capacidade como líderes no Poder Judiciário. Nem sempre é fácil, ainda encontramos muitas dificuldades, mas fico grata por poder mostrar meu trabalho, conquistar a confiança daqueles(as) com quem interajo, evoluir a cada dia e crescer pessoal e profissionalmente”, frisou.

COMPARTILHAR NAS REDES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *