Movimentos vão dando “cara” a disputa eleitoral em São Luís

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

De O Estado

As recentes movimentações de pré-candidatos a prefeito de São Luís deixaram apenas dois deles ainda sem definição sobre os rumos partidários que tomarão de olho nas eleições de 2020.

O deputado estadual Yglésio Moyses, ainda sem partido, tem situação relativamente confortável. Apesar de aparentemente já haver desistido de seguir conversas com o Cidadania, comandado no Maranhão pela senadora Eliziane Gama, ele mantém diálogo avançado com o Pros, do deputado federal Gastão Vieira.

Espera-se ainda para esta sexta-feira, 14, um anúncio oficial da aliança. O parlamentar segue sem legenda desde que deixou o PDT, no fim do ano passado, após haver sido preterido em detrimento da pré-candidatura do presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho, que agora dá mostras de não ter fôlego para efetivar a candidatura.

Outro deputado que ainda não definiu seu rumo, mas tem situação mais delicada, é Wellington do Curso. Ele segue no PSDB, mas sem garantias de que poderá ser candidato.

Procurado por O Estado para comentar a situação, ele respondeu apenas que aguarda “ainda o PSDB”.

O parlamentar chegou a pensar no PSL e também participou de um encontro de apoiadores do “Aliança pelo Brasil”. Mas o partido do presidente Jair Bolsonaro tem dificuldades para ser registrado e ter o direito de participar do pleito deste ano.

Base

Os movimentos mais expressivos ocorreram com definições na base aliada de Flávio Dino (PCdoB). Depois de ser liberado pelo próprio governador para buscar novo partido, o também deputado estadual Duarte Júnior filiou-se imediatamente ao Republicanos, do vice-governador Carlos Brandão.

E já avança nas negociações. Em Brasília, logo depois de oficialmente entrar nos quadros republicanos, o parlamentar reuniu-se com membros da bancada do PL, comandado no Maranhão pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho. O encontro ocorreu também por ocasião da posse do suplente Paulo Marinho Júnior, recém-filiado ao PL (saiba mais).

O partido tenta emplacar um candidato a vice na chapa do ex-comunista. Segundo aliados de Josimar – que já tentou o mesmo com o deputado federal Eduardo Braide, pré-candidato do Podemos –, as conversas andam adiantadas.

Já no PCdoB, com a saída de Duarte, abriu-se espaço para a confirmação da pré-candidatura do deputado federal Rubens Júnior, atual secretário de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano. Ele foi anunciado no início da semana, via redes sociais do partido, e foi oficialmente apresentado em ato na sede municipal da legenda na noite de ontem.

Atulmente, mantém conversas adiantadas com o PP, comandado no Maranhão pelo deputado federal André Fufuca.

Neto Evangelista freia ações de pré-campanha

Um dos primeiros a ser definido como pré-candidato a prefeito de São Luís, o deputado estadual Neto Evangelista (DEM), é, dos principais postulantes ao cargo hoje ocupado por Edivaldo Holanda Júnior (PDT), aquele que menos tem-se movimentado desde o fim do ano passado.

Considerado como prioridade do DEM, e também uma espécie de “plano B” do PDT – que deve lhe oficializar apoio assim que o presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT), desistir da sua pré-candidatura – ele não tem protagonizado muitos atos em busca de apoio.

Além do PDT, não se tem notícia de o próprio Neto Evangelista estar articulando com algum partido, apesar de a direção do DEM haver anunciado conversas com o PL e com o próprio PCdoB.

O democrata também deixou de polarizar com os colegas aliados do governador Flávio Dino (PCdoB), notadamente o deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos), com quem teve algumas divergências públicas na Assembleia Legislativa ao longo de 2019.

Facebook Comments
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *