Enquanto isso na câmara dos vereadores de São João dos Patos…

32 Flares Twitter 0 Facebook 31 Google+ 1 Filament.io 32 Flares ×

Na última segunda-feira(22) ocorreu a eleição para a escolha do novo presidente da câmara dos vereadores de São João dos Patos(MA), oportunidade em que foi eleito o vereador João Evangelista (PMDB) juntamente com a sua chapa formada pelos vereadores Adelson Araujo de Sousa (PDT) como vice presidente, José Wlisses Bezerra Lima (PTB) como primeiro secretario e Agmar Mundim de Sousa Filho (PP) como segundo secretario, a chapa derrotada tinha Jardel Miranda (Solidariedade), Dedé Paulista (PMDB) e Marcio do Kizoeira (PMDB).

Prestaram atenção nas chapas? João Evangelista e Agmar Mundim unidos a Adelson e José Wlisses? Ora, estes até então não eram de lados opostos, dois da situação e dois oposição? Dedé Paulista e Marcio ambos do PMDB em oposição a João Evangelista também do PMDB. O resultado da votação foi 5 a 3, com um vereador votando em branco, sendo contabilizado então 6 votos contra 3, o que nos remete a lógica que outros dois vereadores (Raimundo Filho e Cidielson) teoricamente da oposição, deixaram de votar na chapa oposicionista,  tendo o vereador Raimundo Nolêto não comparecido a sessão, sendo contabilizado um voto em branco (provavelmente do vereador Cidielson).

Como explicar a situação apresentada acima? Simples, não há explicação ou pelo menos não há uma coerência para tal enredo, afinal, há dois meses atrás, haviam pelo menos, 6 candidatos a presidência da câmara e nenhuma definição do que aconteceria na sessão da última segunda. O que fica latente e bem explícito é que não há hoje na câmara, fidelidade partidária e o que se ver é uma rachadura no PMDB, partido do atual prefeito, que se dividiu nos dois pólos eleitorais, tendo os vereadores Dedé Paulista (PMDB) e Marcio José (PMDB) na chapa opositora e a ainda o vereador Francisco James, o “magrão” (PMDB) até então aliado a situação.

Outra circunstância observada no desfecho desta novela, é que nos bastidores da eleição para a presidência da câmara, prevaleceu a influência do atual prefeito, que entre outras coisas, nomeou a esposa do vereador Agmar Mundim (até então candidato a presidência da câmara), diretora do hospital municipal.

Mais nada chamou mais a atenção de todos, do que a fala do vereador Jardel Miranda (SOLIDARIEDADE), candidato pela chapa da oposição, quando este fez o uso da Tribuna e em uma declaração polêmica disse: “Não sou mercadoria para me vender”, dando a entender que os vereadores da oposição votaram na chapa vencedora por interesses pessoais ou em troca que favorecimentos, advindos do atual prefeito ou do futuro presidente da câmara.

Facebook Comments
32 Flares Twitter 0 Facebook 31 Google+ 1 Filament.io 32 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *