set 29

Quanto vale seu voto?

Cuidado! Tem gente lucrando com seu voto.

É nas campanhas eleitorais ou eleitoreiras de âmbito federal e estadual, que aparece o famoso fornecedor de votos, isso mesmo, “fornecedor”, a palavra está correta e se ajusta bem ao papel desempenhado por este personagem tão peculiar nas campanhas eleitorais.

Eles são pessoas conhecidas em suas comunidades, chamados de líderes políticos e em determinadas regiões são vistos como fonte de votos. É esse sujeito quem mais lucra nas eleições, pois, negocia e vende os votos que supostamente teriam em seu poder, eles se passam por amigos dos candidatos que apóiam, passam a imagem de que ele trabalhará por aquela região e em troca recebem uma boa quantia em dinheiro.

Note que há candidatos que sequer sabe o nome de sua cidade, nunca colocaram os pés nela, mas, nesta época, prometem obras e mais obras, se agarram a uma liderança política, dizem serem amigos, fazem carreata, patrocinam um comício e vão embora.

Sem citar nomes, mas, recentemente testemunhamos uma situação parecida aqui em nosso município.

Essa “militância” política tem um preço e muitas vezes, é dispendioso, dependendo do número de votos que esse fornecedor pode prover, um fornecedor, pode ganhar muito em troca de 5 mil ou mais votos, dependendo de quem o contrata, pode chegar a cifras altíssimas, pelo apoio a Senador(a), Governador(a), Deputado(a) estadual e federal. Os candidatos a Presidência normalmente investem nos lideres estaduais.

O fato é que seu voto tem preço e muitas vezes, você nem sabe disso, observe bem os candidatos que estas pessoas lhe apresentam, verifique sua história, suas propostas, pergunte, questione, apure sobre a conduta deste candidato(a) e acima de tudo, pesquise sobre os benefícios que ele ou ela trará a sua região.

Provavelmente, na atual conjuntura política, alguém já tenha vendido seu voto e já tenha até  recebido o pagamento por ele. Preste atenção nas campanhas de sua cidade e observe quem pede seu voto, se o chamado “líder político” lhe apresentou um(a) candidato(a) que nunca colocou os “pés” no seu município,  que não possui nenhum vínculo com a região e desconhece os problemas da população local…. xiii!!!!, seu voto já foi negociado.

.voto

set 29

Mais um Homicídio em Pastos Bons/MA

Mais um Homicídio grotesco na cidade de Pastos Bons, a vítima foi o ex presidiário  Anglésio, que estava em Pedrinhas até o inicio do mês de Agosto.

Fato ocorreu no Povoado Boa Vista, no dia 27 de setembro.

assassinato 3 assassinato assassinato 2

set 26

Homem é preso com quase 30 quilos de maconha em São João dos Patos

Um homem foi preso na tarde desta quinta-feira (25), no município de São João dos Patos, com aproximadamente trinta quilos de maconha.

Foto:http://www.oquartopoder.com/saojoaodospatos/

Foto: www.oquartopoder.com/saojoaodospatos/

Thalisson Jorge Cruz, 25 anos, foi preso por policiais da Força Tática com tabletas da droga prensada dentro de uma mochila. O suspeito estava em um ônibus, que vinha de Belo Horizonte, Minas Gerais. Ele alegou ser lutador de jiu-jitsu e morador do bairro São Francisco, em São Luís.

O acusado foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. Ele vai ser encaminhado ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

maconha

set 25

As Farsas eleitorais no Maranhão

Em abril de 1998, o advogado Miguel Cavalcanti Neto, ex-amigo de Sarney e seu ex-diretor comercial no jornal O Estado do Maranhão, prestou um depoimento em que inclui o nome do ex-presidente da República numa farsa eleitoral grotesca. A farsa é a seguinte: às vésperas da eleição para governador do Maranhão, em novembro de 1994, um tal de Anacleto Pacheco apareceu acusando o então candidato a governador, Epitácio Cafeteira, de ser mandante do assassinato de um ex-funcionário da Vale do Rio Doce, José Raimundo dos Reis Pacheco. A denúncia, ecoada nos programas eleitorais, teve efeito avassalador. Roseana Sarney, que estava 12 pontos atrás de Cafeteira, disparou nas pesquisas e ganhou a eleição com vantagem de 1% dos votos.

“Essa calúnia foi decisiva para eu perder aquela eleição”, relembra Cafeteira. A farsa foi desmascarada em seguida, quando o “defunto” José Raimundo dos Reis Pacheco apareceu em público gozando de plena saúde. As investigações revelaram que o advogado Miguel Cavalcanti Neto participara da farsa. Ele recebeu o denunciante, o tal Anacleto, e encaminhou a denúncia à Justiça, produzindo a peça jurídica que Roseana exploraria nos dias finais de campanha. O advogado, no entanto, sempre negou que soubesse que o assassinato era uma fraude. No depoimento de abril de 1998, o advogado deu um dado adicional. Disse que abriu as portas de seu escritório para o falso denunciante a pedido de José Sarney. “Ele me ligou e me pediu que recebesse esse tal Anacleto. Foi o que eu fiz”, diz. Irritadíssimo, Sarney admite que conhece o advogado, mas nega que lhe tenha feito o pedido. “Nunca recomendei ninguém a ele, não tive nenhuma influência nisso”, disse Sarney. O ex-presidente acrescentou que o advogado seria “estelionatário condenado” e que poderia estar querendo chantageá-lo com a acusação.

Cavalcanti Neto, de fato, teve problemas com a polícia. Em junho de 1994, chegou a ser preso e, mais tarde, acabou sentenciado à prisão domiciliar sob acusação de ter desviado dinheiro de contas particulares numa agência do Banco do Brasil em Fortaleza. Mas seus extratos telefônicos apóiam sua versão. Ali, constata-se que, entre os dias 17 de outubro e 3 de novembro de 1994, período em que a farsa era montada, o telefone do advogado recebeu e fez chamadas para o celular de Sarney, o comitê eleitoral de Roseana e o gabinete de Sarney no Senado. Esses contatos não são provas de que a família Sarney tenha algum tipo de responsabilidade na armação da trama. Mas mostram que, na época, Sarney não se incomodava de falar com um sujeito tão enrolado com a polícia e a Justiça. 

Fonte: Veja on-line

set 25

Lá vem o golpe! Grupo Sarney divulga vídeo forjado contra Flávio Dino

Preso confirma que recebeu proposta de dinheiro para fazer depoimento contra Flávio Dino

Em depoimento prestado junto à Superintendência Estadual de Investigações, Criminais na noite da última terça (23), o presidiário André Escócio de Caldas confirmou que recebeu promessas de regalias para gravar vídeo contra Flávio Dino. André figura em vídeo veiculado nos últimos dias pela TV e pela rádio Difusora, blogs ligados ao grupo Sarney, ao portal iMirante e ao jornal O Estado do Maranhão – propriedade da família Sarney.

Ouvido pelos delegados da Polícia Civil Tiago Mattos Bardal na noite de terça, André Escócio afirmou que o vídeo foi gravado há cerca de oito dias na sala do diretor da Central de Custódia de Presos de Justiça de Pedrinhas, Carlos Aguiar.

Para gravar o vídeo, o presidiário teria recebido “promessa de conseguirem um Alvará de Soltura e mais uma boa quantia em dinheiro, além do declarante (André Escócio) ficar ‘blindado’ (protegido) no sistema”, caso apontasse Flávio Dino, Patrícia e Weverton Rocha como mandantes do assalto ao banco do campus da UEMA. A declaração constando termo de declaração emitido pela SEIC.

André Escócio afirma que não participou do assalto ao banco, data em que estava detido em um presídio. O enredo para tentar incriminar Flávio Dino foi criado após conversas do presidiário com o diretor da CCPJ de Pedrinhas, Carlos Aguiar, que também prestou depoimento à Seis, na manhã desta quarta (24).

Divulgação do vídeo

O vídeo que foi veiculado pelo sistema de Comunicação e também pela campanha de Edinho Lobão foi gravado, segundo conta Escócio, por Nilson, identificado como chefe de Segurança. O presidiário conta ainda que se surpreendeu quando o vídeo foi veiculado em um dos programas da TV Difusora.

Ao assistirem o depoimento forjado no ar, os presos teriam começado a gritar “vai morrer, vai morrer”! O preso já está sob custódia, em sala separada, após os acontecimentos.

Depoimento do diretor

Apontado como responsável pela produção do vídeo, Carlos Aguiar diz que o caso foi gravado na presença de Nilson e com o agente penitenciário conhecido como “Robson”. No depoimento ele confirma que gravou o vídeo, porém ele não teria acreditado no depoimento em que, segundo o próprio Aguiar, o presidiário “queria ser o bonzão”. O diretor nega responsabilidade pela divulgação do vídeo. Após confirmar a autoria do vídeo, o notebook de Carlos Aguiar foi apreendido pelo delegado Tiago Bardal.

Investigação Federal

O vídeo foi postado originalmente de uma conta do youtube (canal para reprodução de vídeos) hospedada no Chile. Considerado crime eleitoral, ele passou a ser investigado pela Polícia Federal a pedido da coligação Todos pelo Maranhão, de Flávio Dino. A Polícia Federal e o Ministério Público vão apurar as responsabilidades pela criação e divulgação do vídeo em diversos meios de comunicação – incluindo a TV Difusora do candidato Edinho Lobão.

Caso Reis Pacheco

Não é a primeira vez que o clã Sarney apela para farsas e mentiras com o uso da mídia.

Lembremos do caso que envolveu o nome do ex-governador Epitácio Cafeteira em 1994, a revista “IstoÉ” divulgou matéria falando sobre a fortuna acumulada pelo ex-governador, sob o título “Carrões e Milhões”. Logo em seguida, Cafeteira também foi acusado pelo assassinato do ex-funcionário da Vale do Rio Doce, José Raimundo dos Reis Pacheco.
Este episódio, conhecido como Caso Reis Pacheco, vésperas de uma eleição para governador do Maranhão. Naquela época, Cafeteira que estava com uma vantagem de mais de 15%, foi acusado por Anacleto Pacheco de ser o mandante do assassinato.
“A farsa foi desmascarada em seguida, quando José Raimundo dos Reis Pacheco apareceu em público gozando de plena saúde. Ele estava morando em Monte Dourado, no Pará, onde trabalhava no Projeto Jari”.

Fonte: www.maranhaodagente.com.br

set 17

Justiça torna indisponíveis bens de ex-prefeito de Sucupira do Riachão

bensO juiz Rommel Cruz Viegas, titular de São João dos Patos, publicou decisão liminar na qual torna indisponíveis os bens do ex-prefeito de Sucupira do Riachão (termo judiciário), Juvenal Leite de Oliveira, em virtude de condenação por improbidade administrativa.  As acusações feitas versam sobre o desvio de verba pública, ao realizar contratações sem o devido processo licitatório, no ano de 2007, e cujos números chegam a mais de 270 mil reais. O pedido do Ministério Público refere-se à indisponibilidade de bens do ex-gestor, haja vista que em relação aos gastos executados ele já havia sido condenado.

Na sua defesa, o ex-prefeito acostou ao processo alguns documentos que comprovaram parte dos gastos, deixando sem explicação outras contratações. Em 2010, o Tribunal de Contas do Estado deu parcial provimento ao recurso de reconsideração pleiteado por Juvenal Leite, reduzindo para R$ 56.835,49 (cinqüenta e seis mil, oitocentos e trinta e cinco reais e quarenta e nove centavos) o débito imputado ao ex-prefeito.

Ao analisar todo o relatório, o magistrado observou que o ex-prefeito teria realizado, com indevida dispensa ou inexigibilidade a contratação de bens e serviços da ordem de 322 mil reais, e ressalta que o requerido já vem arcando com o débito imputado pelo TCE. O débito já vem sendo executado pelo Ministério Público perante a Justiça em São João dos Patos.

E esclarece: “Ante o exposto, decreto a indisponibilidade dos bens de Juvenal Leite de Oliveira, até o valor de R$ 113. 670,98 (cento e treze mil, seiscentos e setenta reais e noventa e oito centavos) acrescidos de juros e correção monetária, a contar da data da decisão do TCE (setembro de 2012) referente à multa civil, prevista no artigo 12 da Lei de Improbidade administrativa”.

Na decisão, o magistrado explica que as poupanças e contas bancárias, veículos e imóveis, de propriedade do ex-prefeito, estão indisponíveis, até que se atinja o referido valor. Após ser notificado sobre a decisão judicial, Juvenal Leite terá 15 dias para apresentar manifestação.

Fonte:

Assessoria de Comunicação

Corregedoria Geral da Justiça

set 12

Suplente de Gastão Vieira, é ficha suja, decide TSE

Raimundo Monteiro teve sua candidatura cassada pelo TSE

Chapa de Gastão Vieira barrada pelo TSE

Em menos de trinta segundos o TSE cassou o registro de candidatura de Raimundo Monteiro, como primeiro suplente na chapa de Gastão Vieira para o Senado.

A decisão do TSE foi favorável à tese levantada pelo Ministério Público Eleitoral que enquadrou Raimundo Monteiro na Lei da Ficha Limpa.

Ex-presidente do Incra, o suplente cassado foi condenado pelo Tribunal de Contas da União.

Com a vaga aberta, uma nova crise surge na coligação sarneysista. Enquanto o PT acredita que a vaga é sua por direito, o vice-presidente do PMDB, Remi Ribeiro, trabalha nos bastidores para subir da segunda para a primeira suplência.

Fonte: http://blog.jornalpequeno.com.br/raimundogarrone

set 10

Flávio Dino chega a 58% de intenção de voto na DataM

O candidato Flávio Dino voltou a subir no primeiro levantamento de intenções de voto realizado após a reportagem da revista Veja que mostrou esquema de corrupção na Petrobras envolvendo políticos maranhenses. A governadora Roseana Sarney e o ministro Edison Lobão estão entre os envolvidos. O Instituto DataM foi a campo entre os dias 5 e 8 de setembro e colheu as intenções de voto 1.500 maranhenses. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para cima ou para baixo. A pesquisa foi registrada sob o número 0044/2014.

Na pesquisa, o candidato da coligação Todos Pelo Maranhão, Flávio Dino, obtém 58,2% das intenções de voto contra 24,6%, de Edinho Lobão. Zéluis Lago, do PPL, obteve 0,5% das intenções de voto e os candidatos Prof. Josivaldo, Saulo Arcangeli e Pedrosa têm 0,3% das intenções de voto cada um. Cerca de 6,2% dos eleitores pretendem votar branco ou nulo e 9,5% não sabem.

pesquisa

A rejeição de Edinho Lobão – aliado de Roseana Sarney e Edison Lobão – continua sendo a maior e subiu a 45%. Independente de quem o eleitor deseja votar, mais de 60% do eleitorado acredita que o oposicionista Flávio Dino irá ganhar a eleição deste ano.

Senado

Na disputa pelo Senado, o candidato da coligação Todos Pelo Maranhão segue na frente, com 30,1% das intenções de votos contra 24,3% de Gastão Vieira. Haroldo Saboia tem 2,7% das intenções de votos e Marcos Silva, 2,2%. Evan de Andrade tem 1,1% e Gersão tem 0,6%. E 27,7% estão indecisos.

Em relação à eleição presidencial, a presidenta Dilma conta com 47,9% das intenções de voto no Maranhão, contra 34,4% de Marina Silva. Aécio Neves tem 8,3% das intenções de voto e os outros pontuam todos menos de 1 ponto percentual.

set 09

Roseana Sarney e Edison Lobão: mais escândalos e vergonha nas grandes mídias

Já virou rotina nosso Estado e os nossa governadora fazerem parte de reportagens de denúncias e escândalos  nos principais veículos de comunicação do pais, dessa vez, Roseana Sarney juntamente com Edison Lobão ministro de minas e energia (pai de Lobão Filho), estão sendo acusados de fazerem parte de um suposto esquema de propinas junto a Petrobras.

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto da Costa está depondo em Curitiba, onde está preso, em troca de uma possível redução de pena. Em uma espécie de acordo com o Ministério público, ele conta o que sabe, constatando-se que os fatos são verdadeiros ele recebe a redução de pena. Sua mas recente revelação aponta um esquema de propina envolvendo políticos e a Petrobras.

Uma reportagem publicada neste sábado dia 06 de setembro, pela revista Veja trouxe o que seriam os primeiros nomes citados por ele. Segundo a revista, há três governadores, um ministro, pelo menos 25 deputados federais e seis senadores citados, do PT, do PMDB e PP, partidos da base aliada do governo.

Os citados como beneficiários do esquema são o ministro Edison Lobão, de Minas e Energia, do PMDB do Maranhão; o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, do PMDB, atual candidato ao governo do Rio Grande do Norte; o presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas; os senadores Ciro Nogueira, do PP do Piauí e Romero Jucá, do PMDB de Roraima.

Entre os deputados estão o petista Cândido Vaccarezza, de São Paulo, e João Pizzolatti, do PP de Santa Catarina. O ex-ministro das Cidades e ex-deputado Mario Negromonte, do PP, é outro apontado no depoimento, segundo a Veja.

Ainda segundo a revista, da lista de três governadores, todos são de estados onde a Petrobras tem grandes projetos em curso: Sérgio Cabral, do PMDB, ex-governador do Rio de Janeiro; Roseana Sarney, do PMDB, atual governadora do Maranhão; e Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República pelo PSB, morto no mês passado.

Mais uma para a conta da atual governadora do Maranhão, que vem se tornando figurinha fácil no Jornal Nacional e Fantástico da rede Globo, sempre com reportagens de denúncias e acusações.

Roseana, Lobão e Paulo Roberto Costa.

Roseana, Lobão e Paulo Roberto Costa.

set 09

11 pesquisas apontam vitória de Flávio Dino no 1° turno no Maranhão

Fonte: Edgar Ribeiro

Com 11 pesquisas em mãos e faltando menos de um mês das eleições, no uso da matemática e da estatística analisa e conclui sobre as eleições 2014 para governador no Maranhão.

pesquisafinal

ANÁLISE 

Usando a própria metodologia do Ibope, passemos à análise.

INTERVALO DE CONFIANÇA

Segundo o Ibope, os resultados de uma pesquisa devem ser interpretados dentro de um intervalo que estabelece limites em torno da estimativa obtida: o chamado intervalo de confiança.  O mais usual é trabalhar com intervalos com 95% de confiança, considerando uma margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Por exemplo: Para um candidato com intenção de voto fixada em 30%, o intervalo de confiança dele, com uma confiabilidade de 95%, seria de 27% a 33%.

Trabalhando com as pesquisa feitas no Maranhão, veja a margem de erro de 3% pra mais e pra menos tanto pra Lobão Filho como para Flávio Dino.

ERRO

INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS

Ainda, segundo o Ibope, só é possível chegar à conclusão de que uma candidatura está crescendo ou caindo se houver vários períodos consecutivos de aferição, com pelo menos três deles seguindo na mesma direção.

O Ibope adverte que, para se dizer que um determinado candidato cresceu ou caiu sem errar, é preciso analisar a evolução do seu desempenho numa série de pesquisas e não somente comparar, isoladamente, a pesquisa atual em relação à anterior.

No caso, este blog está trabalhando com 11 pesquisas já feita e nas quais o candidato Flávio Dino manteve tendência de crescimento e distanciamento de Lobão Filho.

Com base nestes dados e a evidente vontade da população maranhense, conclui pela vitória do candidato Flávio Dino no primeiro turno das eleições 2014 para governador do Maranhão.

O resultado vai oscilar de 50% a 56% para Flávio Dino e 21,8% a 28% para Lobão Filho Mesmo diante das notícias de fraude que estão sendo preparadas.

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress